Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

~Capítulo 3 [INCOMPLETO]~


Assim que entraram pela porta, Ren e a cientista tiveram de imediato uma surpresa: Beatrice estava acordada, fitando com uma certa curiosidade Rune, enquanto esta se aventurava na tentativa de desemaranhar os vastos cabelos de Lulu. O seu olhar, assim como os dos restantes, de imediato se voltou para os dois companheiros e o par de desconhecidos que os acompanhava.
- Bem, parece que temos umas mudanças por aqui... – a cientista foi a primeira a falar, olhando cautelosamente para Beatrice e de seguida para Rune, que lhe respondeu sorridente.
- É verdade, estão todos mais limpos e cheirosos agora! Mas presumo que não seja disso que estás a falar, não é verdade? – interrogou, obtendo umas ligeiras expressões de surpresa por parte do par, que só então se apercebeu ao que ela se referia. Jack, Mimi e Lulu já não estavam mergulhados em sujidade e vestiam agora algumas roupas lavadas. Apenas Beatrice se encontrava ainda envolvida na sua manta, recostada no sofá enquanto mirava em redor.
- Oh, muito obrigada Rune, não sabes o quanto te agradeço!!! – Ren exclamou em deleite enquanto a mencionada soltava uma risada.
- Não tens de quê! Imagino que a Barbie já te vá dar imenso trabalho com este grupinho pelo que resolvi poupar-te de alguns traumas. Mas e então, fofos, como é que isso vos correu?
- Bem, conseguimos apanhar os dois sem grandes distúrbios... – a cientista respondeu, acompanhando os dois novos membros do grupo até ao pouco espaço livre que ainda restava nos sofás – Estes são a Alice e o Sam. Ou “a Sam”, o que te der mais jeito! – disse esta com um encolher de ombros, enquanto Rune olhava o último mencionado com um certo fascínio no olhar.
- Mas que coisas lindas! – respondeu ela, tendo finalmente sucedido em desemaranhar metade da cabeleira de Lulu – Assim que eu acabar isto vou tratar de vos deixar limpos e cheirosos também! Só espero que não venham muitos mais… ou vou começar a cobrar por fazer isto!
Ren deu um suspiro.
- Acredita, nenhum de nós quer isso. – comentou ele, passando a mão pelo cabelo – Só de pensar que esta criatura cor de rosa do Inferno me vai obrigar a vesti-los a todos…
- Oh, então! – Rune deu uma risada – Já me fizeste um guarda-roupa inteiro, não pode ser assim tão difícil para ti! – ouvindo isto, a cientista olhou de relance para Ren com um sorriso malicioso.
- Foram tempos diferentes e circunstâncias diferentes! – Ren justificou-se, num cruzar de braços – Uma coisa é ajudar um amigo, outra é trabalhar à chantagem!
- Diz o que quiseres mas vais fazê-lo na mesma. – assegurou a cientista, dando uma volta pela divisão, puxando por fim uma cadeira para se sentar – Mas bem, vamos descansar só por um bocado antes de continuarmos as buscas.
Ren optou por se recostar na berma de um dos sofás e ficaram a conversar por uns minutos, entretidos pelo palreio de Jack que havia começado a tentar travar amizade com Alice, e os ocasionais protestos de Lulu sempre que algum emaranhado de cabelos ficava enganchado na escova. No meio disto Beatrice havia adormecido novamente. Por fim, a cientista levantou-se e suspirou enquanto estalava as costas.
- Bem, chega de pausa. Ren, onde vamos a seguir?
Ren tirou do bolso o seu dispositivo de deteção e olhou-o seriamente, coçando a cabeça por instantes.
- Bem… escolhe um continente. Os próximos sinais estão todos muito longe.
- Ótimo. – a cientista respondeu – Vamos para África! Anda lá Ren, para o helicóptero!!
- ...Nós temos um helic- ALIÁS, – Ren interrompeu a sua questão abruptamente – como é que tu pensas ir até África num helicóptero? Sabes o tempo que íamos demorar?
- Oh Ren, será que tu nunca aprendes nada? – a mulher respondeu-lhe num tom de troça, que levou Ren a fitá-la seriamente – O nosso helicóptero não é um helicóptero normal, obviamente!
- Mas a nossa carrinha é normal.


EXTRA: RESUMO DAS CENAS RESTANTES


  • Os dois encaminham-se então para as traseiras da casa, onde existe uma garagem dentro da qual se encontra, para surpresa de Ren, um helicóptero ultra avançado e veloz que é, segundo a cientista, "ideal para dar a volta ao mundo em muito menos que 80 dias"
  • Os dois despedem-se então novamente de Rune e partem em direção ao continente africano.
  • A sua primeira aterragem é no meio da savana onde prontamente Ren é atacado por uma mulher desesperada.
  • A cientista aproxima-se para tentar resolver a situação, e quando conseguem finalmente acalmá-la percebem que se trata de mais um dos animais que procuram, uma leoa.
  • A leoa está bastante irritada com toda a situação mas fica satisfeita por ter encontrado os responsáveis. Aceita por fim acompanhá-los de volta ao helicóptero onde partem em busca do próximo sinal, localizado ainda na savana, a não muitos quilómetros de distância.
  • Quando chegam ao local percebem uma figura humana masculina com um ar alto, porém delicado, que se esconde apavorada.
  • Após alguma perseguição, conseguem deter o jovem e asseguram-no de que está tudo bem. Percebem que se trata muito provavelmente de uma girafa atingida pelo raio. Após lhe explicarem a situação conduzem-no por fim com eles até ao helicóptero, e partem de novo em busca do último sinal detetado.
  • O terceiro animal encontra-se mais afastado, numa zona florestal em terras egípcias. Assim que chegam ao local deparam-se com um jovem adormecido no chão próximo de uma grande árvore.
  • Conseguem acordá-lo com alguma dificuldade, obtendo uma série de queixas por parte do mesmo que reclama de ter passado a noite acordado. Este deixa-se convencer facilmente a ir com eles, querendo apenas poder dormir em sossego.
  • Durante a viagem de regresso, Ren e a cientista concluem que este último animal parece tratar-se de um morcego, e começam a discutir nomes para atribuírem aos três. Não conseguem, porém, decidir-se no que chamar à leoa, ficando divididos entre Malika e Lubaya.
  • Aterram por fim de volta nas traseiras da sua casa, procurando preparar-se para o que mais se seguirá.


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Um novo começo

Sabem aquilo que dizem de "ano novo, vida nova"?
Bem, começámos um novo ano há bem pouco tempo, e nos entretantos eu tomei a decisão de atribuir uma nova vida a este projeto. Mas antes de aí chegar, comecemos por voltar um pouco atrás...

O Animalistic!! começou algures na Primavera de 2012, resultante de uma ideia que me veio à cabeça bem aleatoriamente uma tarde, enquanto reunia energia para lavar a loiça. A decisão de tornar essa ideia numa história foi praticamente imediata, e rapidamente deitei mãos à obra e comecei a desenvolver tudo. Na altura eu tinha 15 anos. Agora tenho 20.
Passaram-se cerca de cinco anos, meia década. Não é muito dentro da esperança média de vida de um ser humano, mas são dezenas de milhares de horas de crescimento constante. Dentro desse espaço de tempo, acabei a escola, mudei de casa duas vezes, passei por várias fases agora um tanto embaraçosas... e aprendi, aprendi imenso. E não é de admirar se vos disser que a minha mentalidade de há cinco anos atrás era bem diferente da que tenho atualmente.
E bem, mesmo com o passar do tempo, eu nunca desisti deste pequeno grande projeto. Cerca de meia década depois, ainda é algo que quero trazer ao mundo. No entanto, já não vejo isto da mesma maneira que antes.
Eu não era exatamente a melhor pessoa do mundo há cinco anos atrás, não era a mais inteligente, tolerante ou bem informada. E ainda não sou isso, mas aprendi muito entretanto e sou definitivamente uma pessoa melhor. E quando olho para o que postei neste blog no ínicio da sua existência definitivamente não me sinto muito orgulhosa. Aquilo que esta história era quando começou deixou há muito de refletir aquilo que eu sou atualmente. E tentar continuar aquilo que comecei há tanto tempo atrás tem-se tornado cada vez mais exaustivo e sem sentido para mim. Eu não quero fazer mais isto. Não assim. Eu quero começar tudo de novo.
Sim, eu podia simplesmente deixar este projeto de lado, mas eu adoro-o demasiado para o fazer. Há muita coisa que eu quero transmitir através desta história e das suas personagens. Mesmo com tudo o que mudou ao longo dos anos, a mensagem por detrás desta história ainda é algo que me diz muito. É uma celebração de tudo o que há de diferente e variado na nossa espécie. É uma reflexão profunda acerca do que realmente significa ser humano, e como o podemos aprender através daqueles que não o são. Ainda é um tema que eu quero sem dúvida explorar.

E, portanto, eu vou voltar ao início. Vou começar esta coisa toda de novo. Corrigir o que nunca esteve bem e tornar esta história mil vezes melhor.
Andava a escrever, sem muita vontade, o terceiro capítulo antes de tomar esta decisão. E acho que ainda o vou postar, mesmo incompleto, só para poder dar-vos qualquer coisinha antes de vos fazer esperar milénios por este novo começo.
Para aqueles que gostavam da história como era, não há qualquer razão para se preocuparem. Ela não vai mudar quase nada comparativamente ao que estava escrito. Porque, bem, eu não escrevi muito em primeiro lugar. Esse sempre foi o meu grande problema, mas a verdade é que começo a vê-lo agora como algum tipo de bênção. Porque se tivesse escrito já metade da história, é provável que não tivesse tanta vontade de a recomeçar. E ainda bem, oh, ainda bem que não cheguei a escrever certas coisas que há uns anos atrás me pareciam ser incríveis e hilariantes. AINDA BEM que procrastinei tanto durante estes quase cinco anos. Talvez fosse o Universo a ajudar-me a chegar até aqui.

E o que irei eu fazer agora, então? Bem, vou começar a planear tudo novamente. Vou redesenhar todas as personagens, porque evidentemente passado todo este tempo os designs delas já não me dizem muita coisa. Há muitos problemas que quero corrigir. Eles ainda serão os mesmos bebés bonitos de antes, mas serão bem mais diversos, mais variados, e terão mais em conta a aparência das suas contrapartes animais, e não apenas os estereótipos associados a elas combinados com a estrutura geral de um ser humano convencionalmente atraente. Ugh. O meu traço pessoal mudou muito desde então, e aquele estilo manga enjoativo que em nada se relaciona com esta história vai ser deixado de parte de vez também. Resumidamente, vai ser tudo bem melhor.
E depois há a história em si. Eu acho que cometi um grande erro quando resolvi começar a narrar isto desde o início dos inícios. E aqueles que me foram acompanhando conforme ia escrevendo o pouco que existe sabem o quanto eu lamentava ter que escrever ESTA PARTE INICIAL DA BUSCA PELOS ANIMAIS QUE NADA TEM A VER COM O PROPÓSITO DA HISTÓRIA E É SÓ DESNECESSARIAMENTE CHATA. Pois bem, essa parte toda será devidamente destruída, triturada, convenientemente amassada e aconchegada dentro de um saco de lixo e posteriormente lançada pela janela mais alta de um arranha-céus a 2000km/h em direção ao infinito. Apenas algumas partes de toda essa fase se irão conservar em convenientes e ocasionais flashbacks, e os básicos do que aconteceu serão provavelmente resumidos de vez no prólogo.
Portanto, esta nova versão irá bem mais direta ao assunto, e será quase exclusivamente focada nas personagens e interações entre as mesmas, que meio que era a ideia inicial. Quero procurar estabelecer uma relação de maior intimidade entre o leitor e as personagens, fazendo-as talvez narrar ocasionais porções dos capítulos. Será tudo cuidadosamente planeado e não diretamente despachado como da primeira vez.
E acho que isso é basicamente o que eu tinha a anunciar. Esperem também algumas eventuais remodelações no blog!

E enfim, se leram isto tudo até ao fim, os meus parabéns e obrigada por me aturarem. Se só saltaram até aqui na esperança de ler tudo resumido em três frases, azar. Voltem para trás.

Muito obrigada a todos os meus leitores pelo apoio que me forneceram até hoje, e espero que compreendam esta minha decisão e não se chateiem demasiado. Em breve trarei mais novidades, até à vista o/